Envie esta página a um amigo!
Preencha o formulário abaixo

o teu nome:
o teu e-mail:
nome do seu amigo:
e-mail do seu amigo:
o teu comentário:
close

notícias

Mecas Automobilísticas: Nürburgring (Nordschleife)

 
 
Slideshow
O Nürburgring (Nordschleife) visto do ar. Circuito estende-se até aos montes Eifel

O Nürburgring é muitas vezes referido como o melhor circuito do mundo da atualidade. Esta classificação é merecida, para além de assustadoramente desafiador com uma história a combinar, é único por se manter quase inalterado. O circuito envolve o castelo medieval em Nürburg nas montanhas de Eifel, a cerca de 75 quilómetros a noroeste de Frankfurt e remonta à década de 1920.

No início dos anos 20 a ADAC organizou corridas de automóveis, na altura na sua infância relativa, em vias públicas nas montanhas Eifel. Não só era impraticável, mas incrivelmente perigoso pelo que a construção propositada de um circuito foi proposta. O perigo e Nürburgring seriam indissociáveis durante o século seguinte, já que o circuito desafia a convenção e mantém o famoso ambiente natural de Nordschleife.
 
O primeiro Grande Prémio da Alemanha foi realizado no circuito logo após o fim da construção da pista, na primavera de 1927, com Louis Chiron a fazer a volta mais rápida ao longo das 174 curvas que faziam parte do circuito antes das alterações em 1971. Em 1976 o futuro dos Grandes Prémios foi condenado depois dos pilotos terem-no considerado demasiado perigoso para correr e os organizadores terem sido incapazes de fazer as alterações necessárias, principalmente ao comprimento de cerca de 22,5 km e a falta de espaço à volta do circuito imposta pelas montanhas.
 
O evento de 1976 será recriado pelo novo filme "The Rush", que vai reconstituir o acidente de Niki Lauda na lomba antes da famosa curva Bergwerk. Lauda ​​sobreviveu a queimaduras terríveis e voltaria à batalha com James Hunt, que finalmente arrecadou o título no controverso Grande Prémio do Japão.
 
Em 1980 começaram as obras para um novo circuito que seria capaz de suportar as downforces mais rápidas a que se assistia nos carros de Fórmula 1. Mas o novo circuito não tem a mística do original e não é a Meca sobre a qual se centra este artigo.

Em 1983 Stefan Bellof deu uma famosa volta ao circuito de Nordschleife em 6m11.13s no seu Porsche 956-005956Porsche 956Alemanha, 1982 > 198522 fotografias
1 video
, um tempo que nunca foi batido, nem nunca será. Bellof alcançou este tempo na qualificação para a corrida do Grupo C realizada no circuito em maio de 1983. Jochen Mass foi o segundo mais rápido na qualificação com um tempo de 6m16.85s também num Porsche 956-005. A dar potência ao monstruoso Porsche 956 estava um motor boxer de 635cv turbo de seis cilindros, com apenas 2,65 litros de cilindrada. O tempo exige ainda mais respeito quando nos apercebemos da quantidade de turbo-lag com que os pilotos tinham de lidar e a velocidade média de cerca de 193km/h.

Porsche 956

Porsche 956

© imagem cedida por: Porsche

O que torna o Nordschleife tão único é que qualquer um pode simplesmente saltar para dentro do carro, conduzir até às montanhas Eifel e aparecer, sem aviso prévio no portão, pagar uma taxa de 26€ e enfrentar o famoso circuito.

Embora o Nordschleife seja tecnicamente uma estrada pública, não existe limite de velocidade e é possível, se não mesmo encorajado, analisar o carro e o talento ou a falta dele de uma pessoa, numa luta contra o cronómetro. É mais conhecido como "bridge to gantry" e corta uma secção de 200m do circuito por onde se passa por um controlo de bilhetes e por uma espécie de linha das boxes. É aqui que os bandos de pilotos de BMW M3M3 GTSBMW M3 GTSAlemanha, 2010 > presente5 fotografias
e de Porsche 911 GT3911 GT3Porsche 911 GT3Alemanha, 2009 > presente5 fotografias
1 video
se escondem, apesar de que a minha experiência comprova que muitas vezes é um pequeno GolfGolf Gen.1Volkswagen Golf Gen.1Alemanha, 1974 > 19849 versões
14 fotografias
de primeira geração, conduzido por um local que coloca muitos num bolsinho. É preciso algum tempo para memorizarmos os cerca de 20 quilómetros do circuito.

Também se pode tornar numa visita cara se não tiveres preparado algum seguro especial para Nordschleife, já que muitas seguradoras não vão segurar pilotos que decidem testar as suas capacidades no famoso circuito, colocando muitas vezes condições especiais no âmbito da apólice. Claro que isto não quer dizer que não vais ver alguns carros de aluguer a tentarem a sua sorte!
 
De facto, os custos para quando "as coisas correm mal" são bastante altos. Se tiveres um acidente o Nordschleife vai-te responsabilizar pelo custo de fechar a pista e pelos custos de reparação das barreiras que inevitavelmente foram danificadas no sucedido. Aqui está uma lista dos custos envolvidos:
 
Custos de responsabilidade em Nürburgring
Taxa de solicitação do camião Armco €150 
Remoção de Armco danificado € 10 / metros (x 2, 3 ou 4 para as secções de altura múltiplas)
Substituição do Armco € 31 / metros (x 2, 3 ou 4 para as secções de altura múltiplas)
Remoção de rails Armco €5,10 cada

Substituição de rails Armco
€39 cada
Presença do safety car €82 / meia hora
Encerramento da pista €1350 por hora
Reboque €190 

Todos os valores estão sujeitos a IVA de 19%, à exceção do reboque.

É óbvio que um grande acidente pode ser extremamente caro para qualquer pessoa que se veja envolvida num, por isso mais vale dar uma vista de olhos muito cuidadosa nas apólices de seguros e nos saldos bancários antes de sequer te aproximares de Nordschleife.

No entanto, nada disto vai impedir que as pessoas continuem a visitar o lendário circuito e por uma muito boa razão. A minha primeira experiência em Nürburgring aconteceu em 2005, pouco depois de passar no exame de condução. Estava a regressar de Buchloe num B5 Alpina (E60)BMW B5 Bi-Turbo Gen.1Alpina BMW B5 Bi-Turbo Gen.1, 2009 > presente2 versões
22 fotografias
e os 500cv e a pista lendária eram uma oportunidade demasiado grande para perder. Claro que eu fui um daqueles que foi ultrapassado pelo condutor do Golf GTI referido anteriormente, mas mesmo assim foi memorável. É uma das razões pelas quais eu me comprometi a voltar no futuro à corrida de 24 horas, de preferência como piloto.

Isto leva-me até ao próximo ponto, outra razão pela qual esta pista é tão especial. Todos os anos os fãs de automobilismo fazem uma peregrinação a Nürburgring para a ADAC 24h Rennen Nürburgring ou simplesmente as 24 Horas de Nürburgring. É uma prova de carros GT e de turismo voltada principalmente para os pilotos amadores, embora alguns profissionais também possam participar. São autorizados 230 carros a tentar a qualificação para o evento e 210 podem participar na corrida que utiliza o circuito norte de Nürburgring que tem cerca de 25 quilómetros, o que significa que durante a corrida existe uma média superior a 8 carros por cada quilómetro de pista, pelo que a emoção está garantida.

24 Horas de Nürburgring de 2011

24 Horas de Nürburgring de 2011

Nos últimos anos a corrida tem tido maior cobertura por parte dos media já que um cada vez maior número de fãs se tem apercebido da sua natureza espetacular. Em 2011 mais de 200.000 fizeram a peregrinação até Nürburgring. O maior número de espectadores e a cobertura televisiva fez com que, nos últimos anos, as marcas se tenham envolvido mais, visto que procuram os melhores eventos para anunciar os seus produtos.
 
Hoje em dia a corrida tornou-se mais num festival, com enormes quantidades de cerveja a ser bebida e com os organizadores do evento a investirem em entretenimento para os fãs através de parques de diversão, simuladores e as novas e controversas instalações que foram construídas por Lindner/Richter. Uma nota positiva, pelo menos, vai para o facto de haver mais quartos de hotel disponíveis, mesmo que a maioria deles estejam vazios durante o resto do ano.

O circuito de Nürburgring continua a ser uma anomalia no automobilismo moderno e, apesar das tentativas de o tornar mais seguro, o seu caráter permanece intacto. Hoje em dia, a corrida de 24 horas não recebe os mais velozes LMP, nem pode vangloriar-se com um Grande Prémio, mas podes conduzir no mesmo circuito que Juan Manuel Fangio percorreu ao volante do Mercedes W196W196Mercedes-Benz W196Alemanha, 0 > presente2 versões
17 fotografias
e até mesmo competir se tiveres muita sorte.

O "Ring" é rico em histórias, algumas delas trágicas, mas não existe outro lugar igual na Terra e eu espero que assim continue.
 

1 comentário

tsilva
Uma meca e um ícone, sem dúvida nenhuma. Tem uma história admirável e assombrosa. Seria um prazer poder assistir a uma competição em pelo ring
30.01.2013 @ 15:24
Anonymous

Contribuir

publica as tuas notícias e novidades
Contribuir
Cultura AutomóvelTop 10ReviewsSalão Automóvel de GenebraCarros ElétricosCarros HíbridosIndústriaDicas de Condução
fechar